Voltar

Enrascado? Motivos para pedir ajuda

13/10/19   |   Nayara Silva
Stressed

Diferente da maioria dos meus colegas, eu comecei a codar apenas alguns meses antes de entrar na faculdade de Computação. Isso significava que pra eu entender até mesmo um simples HTML era motivo de ansiedade. Foi por isso que eu quis entrar na CJR, porque eu achava que uma Empresa Júnior me forçaria a aprender coisas pro mercado. E isso é verdade, mas o que eu mais aprendi dentro da CJR foi a pedir ajuda.

Pra mim sempre foi difícil pedir ajuda. Como uma pessoa tímida e até mesmo um pouco orgulhosa, pedir ajuda é sempre a minha última opção, mas eu tive que quebrar esse hábito logo no processo trainee da CJR. Essa não foi a única vez em que tive que superar o medo de pedir ajuda, mas foi a experiência mais marcante e é nela que eu vou me basear.

Como vocês já devem ter visto nesse post, a CJR utiliza o framework Ruby on Rails para trabalhar. Como teste do nosso processo trainee, tivemos que montar um site de compras, como um ifood. Para uma novata que ainda estava em meio de aprender HTML e CSS, jogar tudo isso no meio de Ruby dentro de um framework que eu não conhecia… Isso foi uma experiência assustadora e eu não teria saído dela sem o resto do meu time, e principalmente o meu gerente, que foi a pessoa que mais me ajudou.

Então aqui vai uma lista sobre porquê é importante pedir ajuda:

1- Trabalho em Equipe

Se você já se enfiou pelo menos um pouco no mundo da programação, você já percebeu que tem muito trabalho nessa área, mas que muitos desses trabalhos envolvem fazer parte de uma equipe. Mesmo que você seja um desenvolvedor full-stack, se você tem um prazo para cumprir, um cliente para atender, sua produtividade é maior quando você tem um time.

Fazer parte de uma equipe envolve, naturalmente, ajudar uns aos outros. Cada um, é claro, faz sua parte e essa é uma ajuda indireta. A onde entra aqui a parte de jogar o orgulho pro lado e pedir ajuda pro coleguinha? Como um desenvolvedor, principalmente um desenvolvedor iniciante em qualquer framework, ou linguagem, você vai se deparar com desafios novos. Às vezes erros e erros que nunca parecem se consertar, porque quando você resolve um, lá vem outro.

Comigo foi exatamente isso o que aconteceu.

Pra não entrar em muitos detalhes técnicos, minha tarefa era fazer com que refeições se relacionassem com categorias. Vocês sabem, Doces: Brigadeiro, pudim; Prato principal: Steak com molho madeira, Feijoada. Essas coisas. Meu gerente, também sendo novo em Rails e não tendo mexendo com isso em algum tempo, me ajudou a procurar por sites com resoluções parecidas, tutoriais. Eu mandava para ele um link, ele me mandava outro e se um não funcionava, eu testava ambos. Se ambos não funcionavam, nós dois parávamos, olhávamos para o editor de código e tentávamos descobrir o que tinha dado de errado.

Duas cabeças pensam melhor que uma, certo? Trabalhar junto de outra pessoa para resolver um problema que tinha surgido e ninguém fazia ideia do como. Isso foi uma experiência que me ensinou até mesmo a pensar fora da minha zona de conforto. Você tem que parar a sua linha de raciocínio, dar espaço para o pensamento do outro e então contribuir com algo. Isso, amigos é algo que você aprende na prática.

2- Aprender com Gente que Entende

Em algum momento da sua vida, você já abriu milhares de páginas do StackOverflow, testou várias soluções, procurou até em uma língua desconhecida o que era o bendito erro que seu programa ou site estava dando e por mais que tentasse nada funcionava? Ou mesmo que funcionasse, você simplesmente não fez ideia do porquê?

É muito comum encontrar páginas de respostas a problemas e erros que não te explicam o que você está fazendo ou o que aconteceu, simplesmente te dão a resposta. Sabemos que isso não adianta muito se no futuro você não entender por que você usou aquela linha de código específica.

Agora, se você tá do lado de um amigo, um colega, que entende mais do que você daquele assunto, então você tem acesso a uma fonte de conhecimento logo ali. Pedir ajuda a ele não apenas constrói uma relação, mas poupa tempo e te dá uma explicação mais completa do que está acontecendo. Você resolveu o seu erro, mas ainda tem dúvida de como ou porquê a solução funcionou? Se a pessoa tirou o tempo dela para te ajudar, ela não vai se importar em te explicar a lógica por trás disso.

3- Mentes diferentes trazem soluções mais fáceis.

Ainda falando sobre pessoas mais entendidas de algum assunto, às vezes a solução para o seu problema é tão simples que você poderia resolver todos os erros com uma linha de código. Mas você não teria como saber disso, seja porque ainda está aprendendo a lógica da linguagem, ou porque acha que o problema está em outro lugar.

Os pontos 2 e 3 eu vou exemplificar com a mesma história:

Ainda no processo trainee, durante a criação dessa relação entre categorias e refeições, o aplicativo simplesmente parou de funcionar. O erro cheio de números, referências à pastas e em inglês era tão específico, que por mais que eu pesquisasse, não conseguia descobrir onde estava o erro. Todos os arquivos estavam em seus devidos lugares.

Foi o meu gerente que me deu uma luz. Ele me mandou simplesmente excluir um arquivo e resetar o banco de dados. Confiando nele eu fiz, e tudo rodou perfeitamente. Sem entender muito de banco de dados, caloura na faculdade, perguntei o que tinha rolado. Ele me explicou que havia um conflito entre duas definições diferentes de categorias que pareciam estar sendo criadas. Uma que foi criada antes da relação, e a outra que eu estava tentando adicionar/modificar. Ao resetar o banco e apagar o arquivo antigo, a minha modificação foi feita e não tinha mais conflitos. Uma solução simples, para um problema simples, que na época eu não conseguia enxergar, vindo de uma pessoa que me deu uma grande explicação porque já tinha mexido com isso antes. Lembrando, que ele também não era um expert.

4- Diminuir a carga

Às vezes temos dificuldades de saber o quanto podemos carregar. Como disse nos outros dois pontos acima, pedir ajuda poupa tempo. E tempo é extremamente necessário quando nos enrolamos com muitas atividades.

Pedir ajuda não é, definitivamente, jogar sua tarefa nas costas do coleguinha. É simplesmente pedir para que ele te dê um empurrão para você atravessar a linha de chegada.

Enquanto eu fazia meu processo trainee, eu estava no meio de um trabalho voluntário em um campeonato de esportes. Eram dois compromissos que eu não ia largar, porque eu tinha dois times contando comigo. O time do trabalho voluntário e o time do desenvolvimento do site. Eu não queria decepcionar ninguém e eu não teria chegado ao final desses dois compromissos sem a ajuda que eu tive, tanto do meu gerente quanto do meu time. Horas me foram poupadas em pesquisas, porque foram melhor usadas em uma discussão sobre o problema, ou o bug, ou até mesmo sobre a criação do banco de dados. Mesmo que durante a discussão a gente não chegasse a lugar nenhum, em algum momento durante o meu trabalho atendendo os atletas uma solução baseada naqueles pontos pulava na minha mente e lá ia eu para o armário de vassouras (true story) completar o site.

5- Ensinar a retribuir

Por fim, quando pedimos ajuda e vemos a importância que aquilo teve para nós, percebemos o quão importante é contribuir para a comunidade. Ao ter meu gerente me ajudando com algo tão simples, mas sem me diminuir porque ele sabia o quão nova eu era na área, pensei que podia fazer o mesmo com os outros. Isso me levou a ajudar meus colegas de classe e até desenvolvedores mais novos, mesmo que eu não soubesse muito o que eu estava fazendo. Isso me fez crescer muito como pessoa, mas também como desenvolvedora. Quando você ensina, é a hora que você mais aprende, porque você precisa entender o que você está fazendo antes de passar isso para outra pessoa.

Acredito que pedir por ajuda na hora de desenvolver ou aprender uma linguagem, ainda traz mais benefícios, muitos ligados à relações de trabalho e laços entre colegas, mas deixo aqui esses quatro, que acho que são os motivos mais fortes que me levaram a escrever esse texto. Acho importante lembrar também que pedir ajuda não é ser fraco, ou se aproveitar dos outros, mas utilizar um outro meio para chegar aonde você precisa. E toda ajuda dada, pode ser retribuída.

Sobre o autor:

Nayara Silva
Consultora de Imagem e Publicidade

Oi, eu sou a Nayara! Gosto muito de desenhar :)